Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Começa a sair do papel o projeto do novo Parque Assis Brasil

Publicação:

20140129161737abcc-01.jpg
A ABCCC foi a primeira a firmar o compromisso com o governo gaúcho após a aprovação de lei de criação de um marco regulatório - Foto: Fernando Dias

 

O primeiro passo para dar início à implantação do projeto de construção do novo Parque de Exposições Assis Brasil, localizado em Esteio (RS), foi dado nesta quarta-feira (29), no Gabinete do secretário de Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa), Luiz Fernando Mainardi. Na ocasião, foi assinado o termo de concessão de uso de área do Parque para a Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Crioulo (ABCCC). O contrato será válido por 25 anos, sendo renovável por outros 25.

A entidade foi a primeira entre os usuários do local a firmar o compromisso com o governo gaúcho após a aprovação de lei de criação de um marco regulatório para a área, aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado em dezembro de 2013.

A área concedida à entidade que congrega os crioulistas é de 7,5 hectares, mais do que o dobro do que a atualmente ocupada. A metade ficaonde hoje a entidade está e outra, do outro lado do Arroio Esteio, onde deve ser construído um estacionamento exclusivo. Entre os projetos a serem executados estão a cobertura da pista do Cavalo Crioulo, onde as provas, como o Freio de Ouro, são realizadas, além da transferência das cocheiras e do restaurante do Cavalo Crioulo para esta área, integrando todas as atividades em um só local.

“Estamos, a partir desta cessão, tirando do papel o projeto de modernização e revitalização do Parque Assis Brasil”, explicou o secretário Mainardi, ao informar que a ABCCC e o Simers serão os primeiros parceiros porque acompanham este processo desde o seu início, há cerca de dois anos, são parceiros da ideia e, além disso, responsáveis pelos maiores volumes de comercialização na Expointer. “Saimos de R$ 880 milhões de vendas em 2011 para R$ 3,2 bilhões em 2013, e muito se deve aos segmentos do cavalo crioulo e de máquinas e implementos agrícolas”, justificou o secretário.

Mainardi, por outro lado, garantiu que o Estado está pronto para começar a aportar os recursos previstos nesta parceria com a ABCCC, que correspondem a 1/3 de tudo o que a entidade vier a investir, valor estimado em R$ 15 milhões de reais. “Contamos com o respaldo do governador Tarso Genro e dispomos de pelo menos três fontes de recursos que podem ser utilizadas. Temos as verbas orçamentárias, o financiamento do BNDES e a receita do próprio parque de exposições neste novo modelo de exploração”, disse.

 

Projeto da ABCCC

A intenção é que se possa desenvolver atividades durante todo o ano no Parque. De acordo com o presidente da ABCCC, Mauro Ferreira, a prioridade agora é a cobertura da pista. “Isso nos permite a realização de mais eventos no parque, pois temos o compromisso com o Estado de fazer uma ocupação mais permanente da área do cavalo Crioulo", explica o presidente que completa informando que a expectativa é de a pista estar coberta ainda para a Expointer deste ano.

Para executar o projeto da Arena do Cavalo Crioulo será investido inicialmente R$ 15 milhões. O acerto é para que o governo entre com um terço dos recursos e a entidade com outro. A terceira parte virá de patrocinadores interessados em comprar a ideia que inclui restaurantes, estacionamentos, pista coberta, entre outros.

Ferreira, fez um agradecimento ao governo pela sensibilidade de fomentar o projeto de reestruturação do Parque Assis Brasil. "Estas negociações já vem ocorrendo há pelo menos dois anos junto ao governo do Estado e sempre tivemos a boa vontade do secretário Luiz Fernando Mainardi e do ex-diretor-diretor do parque, Telmo Motta Junior", afirma.

Participaram da assinatura, além do presidente da ABCCC, o secretário da Agricultura do Rio Grande do Sul, Luiz Fernando Mainardi, o diretor da Expointer, Telmo Motta Júnior, e o ex-presidente da entidade e membro do conselho de planejamento da ABCCC, Roberto Davis, além do coordenador jurídico da Secretaria da Agricultura, Gildasio Brum, e dos atuais diretores do parque Jeferson Chiarelli e Marcio Muller.

Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural