Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Na abertura da colheita, governo do Estado reforça apoio à cultura de noz-pecã

Publicação:

Abertura da colheita foi realizada na sede da Pecanita Agroindustrial, em Cachoeira do Sul
Abertura da colheita foi realizada na sede da Pecanita Agroindustrial, em Cachoeira do Sul - Foto: Fernando Dias/Seapdr

Começou oficialmente a colheita da noz-pecã no Rio Grande do Sul, maior produtor brasileiro de da fruta. Cachoeira do Sul foi sede na quinta-feira do 2º Simpósio Sul-Americano de Noz-Pecã e, nesta sexta-feira (12) recebeu autoridades, técnicos e produtores para a 2ª Abertura Oficial da Colheita da Noz-Pecã. O secretário da Secretaria de Agricultura Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Covatti Filho, representou o Estado e ressaltou que o governo estadual é parceiro para fortalecer a cultura e incentivar a diversificação da produção nas propriedades com a introdução de nogueiras.

Mais de 500 pessoas se inscreveram para participar do simpósio, que recebeu palestrantes de Chile, Estados Unidos, Argentina, Uruguai e Brasil, abordando temas como manejo, produtividade, qualidade, mercado e comercialização. A fruta seca tem tido aumento de demanda, no mercados interno e externo, e sido incorporada às dietas modernas por ser considerada um alimento com qualidades nutraceuticas (alimentos que promovem algum efeito benéfico no organismo, retardando ou impedindo o aparecimento de doenças crônicas e, principalmente o envelhecimento).

Covatti Filho representou o Estado e ressaltou que o governo é parceiro para fortalecer a cultura e incentivar a diversificação
Covatti Filho representou o Estado e ressaltou que o governo é parceiro para fortalecer a cultura e incentivar a diversificação - Foto: Fernando Dias/Seapdr

Na sexta-feira, a abertura da colheita foi realizada na sede da Pecanita Agroindustrial, onde houve capacitação técnica a partir de visita a três estações técnicas para conhecimento da produção, desde o planejamento até o processo de armazenamento da colheita.

A noz-pecã é cultivada há mais de 50 anos no Rio Grande do Sul, especialmente em Anta Gorda e Cachoeira do Sul, os dois principais polos de produção e industrialização do país. Há cerca de seis anos, houve incremento no plantio desta frutífera, que atualmente ocupa cerca de 5 mil hectares e envolve aproximadamente mil pecanicultores. 

Pró-Pecã

Para coordenar esse crescimento e atender a pedido do setor, foi criado o Programa Estadual de Desenvolvimento da Pecanicultura (Pró-Pecã) e a Câmara Setorial da Noz-Pecã, ambos em 2017. Entre as ações estratégicas destacam-se o incentivo às ações de pesquisa e assistência técnica visando à disponibilização de informações e tecnologias, apoio e divulgação da produção de mudas de boa qualidade (sanidade e genética), incentivo a organização à promoção dos produtos e ao aumento de renda dos viveiristas, pecanicultores e indústrias beneficiadoras de noz-pecã, promoção de grupos técnicos, eventos e intercâmbios para introdução de novas tecnologias.

Os eventos em Cachoeira do Sul foram promovidos por Seapdr, Embrapa Clima Temperado, prefeitura de Cachoeira do Sul e Emater.

Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural