Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

PROESO

Programa Estadual de Sanidade Ovina

ovelhas campo 01 p
ovelhas campo 01 p - Foto: Fernando Kluwe Dias

O PROESO tem como objetivo controlar, erradicar e prevenir doenças que possam comprometer o rebanho ovino estadual.

Suas atividades serão em cima de Estudos e Monitoramentos Epidemiológicos; Fiscalização de Trânsito Ovino; Cadastramento e Fiscalização Sanitária de Estabelecimentos e intervenção imediata em suspeitas ou ocorrências de enfermidades nos ovinos.

A partir do seu lançamento, fica proibida a circulação e a entrada de ovinos portadores de enfermidades previstas no PROESO no Estado do Rio Grande do Sul. Médicos Veterinários públicos e privados, bem como proprietários OBRIGAM-SE a informar imediatamente qualquer suspeita de doença em ovinos de Notificação Obrigatória.

Inicialmente fará parte do PROESO a SARNA OVINA, combatida no RS pela SEAPDR desde 1942; a PIOLHEIRA OVINA, combatida pela SEAPDR desde 1955 e agora também a EPIDIDIMITE OVINA (Brucelose ovina) que, a partir do estudo de prevalência desta enfermidade no RS, realizado pela SEAPDR em 2011/12, passa a fazer parte deste programa.

A Brucelose Ovina ou Epididimite Ovina é uma enfermidade bacteriana de notificação compulsória ao Serviço Veterinário Oficial e seu controle é contemplado no Programa Estadual de Sanidade Ovina do RS (PROESO). Causada pela bactéria Brucella ovis que acomete carneiros, pode também infectar ovelhas que se curam logo após o termino do ciclo estral. Nos machos não há cura e os mesmos devem ser afastados do rebanho e sacrificados. Causa inflamação do epidídimo e leva à infertilidade do rebanho. Pode provocar abortos nas fêmeas. É transmitida através da monta e através de lambeduras nos órgão sexuais de machos com fêmeas e machos com machos. Sua prevalência no Estado do RS é de 2,5 %, sendo que na região de maior população de ovinos, região das fronteiras, chega a 6%. Segundo determinação do Serviço Veterinário Oficial do Estado, o PROESO preconiza que para qualquer movimentação de ovinos machos, inteiros e acima de seis (6) meses de idade, um atestado NEGATIVO de Brucelose ovina deve ser apresentado por ocasião da emissão da Guia de Transito Animal (GTA).

Lista de Laboratórios de Análise de Brucelose Ovina ELISA

Médicos Veterinários Cadastrados PROESO

Propriedades Certificadas PROESO

Programa Estadual de Sanidade dos Ovinos 

Planilha Controle Laboratorial Epididimite Ovina 

Formulario de Cadastramento para Certificação no PROESO

SDP Procedimento Operacional Padrão PROESO e Doenças Parasitárias

Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural